Filme: Ponto de Equilíbrio

Estava passando de canal sem nenhuma esperança de achar algo bom, e de repente me vejo (não literalmente) , assistindo a um filme chamado Ponto de Equilíbrio ,mas não levei muita fé nele , e continuei mudando de canal , um tempo depois volto pro canal do filme , e fico assistindo. Não me arrependi  realmente é um filme muito bom e vale apena, você pode achar a sinopse meio ( ou completamente ) estranha , mas garanto que vale muito assistir.

Sinopse:  
Nina é uma estudante de medicina que luta contra a esquizofrenia e tenta levar uma vida normal, mas a morte misteriosa de um paciente no hospital onde trabalha acaba colocando em  dúvida  sua certeza do que é real.

Nome original: Tipping Point (TV) (2007)

Dirigido por: Michel Poulette

Escrito por: Steve Wilson

Atores: Nicolas Wright, Chuck Shamata.

Atriz: Katheryn Winnick

Pra quem ficou curioso aqui vai mais.

PS: SPOILER  (Fonte: 25parada.wordpress.com)

Nina Patterson era uma mulher interessante, inteligente porém era esquizofrênica. Tinha surtos horríveis e herdou isso da família – muitos já haviam morrido, inclusive a mãe dela.

Já no começo do filme as crises estão controladas devido ao medicamento. Ela foi criada pelo pai e o tio também acompanhou seu crescimento, sendo ele um dos neurologistas mais reconhecidos do país. Sempre a apoiou, inclusive a contratou como técnica para auxiliar nos exames de ressonância magnética – era ela quem lidava com os pacientes. Seu tio deixava por conta dela e só via o exame quando estivesse pronto. Com o passar do tempo ela passou a conseguir “analisar”  amadoramente o exame de RM, ver quando o paciente tinha problemas, como, por exemplo, tumores.

Certo dia foi então um homem fazer a RM e os dois simpatizaram um com o outro. Enquanto ela fazia a ressonância dele, a esposa o esperava. Nina viu que ele não tinha nada embora não pudesse se manifestar a respeito. Mas dias depois aparece no jornal que um tal milionário (o cara que foi fazer o exame) morreu de tumor no cérebro. Ela ficou confusa porque ela não tinha visto tumor nenhum. Ao procurar as chapas do exame no arquivo, o envelope estava vazio.

Então começa verdadeiramente a história do filme, o suspense.

Nesse meio tempo ela começa a namorar um cara meio nerd, meio gênio fracassado mas divertido, e ele começa a apoiá-la mesmo depois de ter descoberto o problema de saúde dela. Ela consegue entrar na faculdade de Medicina pois foi trabalhando com o tio que ela se apaixonou pela profissão.

O problema é que com a história do milionário ela começa a achar que está entrando em crise de novo, vendo coisas, e duvidando da capacidade dela de ter interpretado corretamente o exame. O tio dela foi o responsável pelo laudo e ao conversar com ele, a mandava descansar pois ela estava surtando, sugeria que estivesse ficando sobrecarregada com a faculdade e estaria vendo coisas, ouvindo coisas… é, ela ouvia cachorros latindo mas não havia cachorro algum, e ouvia vozes dando ordens a ela mas não era ninguém. Ela tomava o medicamento dela para evitar as crises mas continuava “surtando”, cada vez mais percebendo coisas estranhas na história do milionário. Nina achava que estava certa mas todos diziam que ela estava errada, que era imaginação, mania de perseguição, ou seja, sintomas típicos de esquizofrênicos. E como ela já tinha passado por surtos antes, ela se convence de que o que ela percebe na verdade não é real, como inúmeros surtos que ela teve durante a vida dela.

Foi internada em um hospital psiquiátrico e a enfermeira de lá diz que o comprimido que ela toma é qualquer coisa exceto o remédio para a esquizofrenia. Então ela “pira” mais ainda. Como assim? Bem, no final da história , ela descobre que o tio dela, que ela tanto apreciava, espalhava caixas de som com vozes e latidos pela casa dela, trocava o remédio dela para que ela realmente surtasse e a contratou para trabalhar com ele porque se ele fizesse algo errado ninguém daria crédito para a denúncia de uma “louca”. Ou seja, ele usou da confiança e doença dela, induziu-a a surtos que estavam controlados, para descreditá-la caso ela percebesse o crime.

Foi ele quem matou o milionário, unido à esposa do cara, pois ele era viciado em jogos de azar e tinha uma dívida milionária e viu no crime uma maneira de conseguir pagar as dívidas.

Anúncios

Tags: ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: